A BRIGA DE PEDRO E PAULO – DISCÓRDIA TAMBÉM É LIBERTAÇÃO
5 (100%) 6 votos
- NOVO TESTAMENTO, PROVOCAÇÕES

A BRIGA DE PEDRO E PAULO – DISCÓRDIA TAMBÉM É LIBERTAÇÃO

A briga dos Apóstolos Pedro e Paulo. A igreja é mais que uma casa de oração, também é um instrumento de formação de pessoas com ensinamentos de  ordem, moral e ética. Nas igrejas cristãs uma forma usada para se manter a ordem é pregar a mensagem que se há um desacordo, uma briga é obra do inimigo, que toda discórdia vem do mal. Devemos entender que o principio básico é válido, mas infelizmente muitos líderes religiosos usam esse método para oprimir e dominar. Convido-os a pensar que não é sempre assim, nem toda discórdia é obra do maligno, ela pode ser também, obra de Jesus. Discórdia não é só desavença, discórdia também é libertação. Lembremo-nos de Nosso Senhor que discordou dos líderes que promoviam a opressão (judeus, fariseus, saduceus, essênios, zelotes e romanos). Jesus conduziu a discórdia, de forma pacífica com o objetivo de inclusão e aceitação ao outro, ao diferente e assim alcançou os marginalizados e desprezados. Sua discórdia não separou, ela incluiu, uniu e libertou. Devemos pensar isso nas igrejas e assim dar voz a todos e não somente a meia dúzia que rodeiam o pastor/padre.

Jesus expulsou os mercadores do templo, o que Ele faria se entrasse em um hoje?
Lucas 19:45,46 João 2:13-16

A doutrina nas igrejas, principalmente as evangélicas é de hierarquia, ordem e submissão, então como proceder quando discordamos de atitudes e ensinamentos dos líderes em nossas igrejas? Aceitar as imposições mesmo considerando impróprias, pois devemos obediência ao pastor/padre ou questionar e debater o assunto? o que fazer como Cristão? Se você tem essas dúvidas saiba que aconteceu isso entre os apóstolos, uma discordância séria aconteceu entre Pedro e Paulo e talvez sirva como um ponto de referência em suas dúvidas.

Conforme foi crescendo o cristianismo pelo mundo antigo, houve a necessidade de organizar os cristãos e aí se deu o nascimento  da igreja cristã. Infelizmente sempre que houver um grupo de pessoas reunidas com um mesmo objetivo haverá discórdias, e mesmo Jesus ensinando a aceitar o diferente, ocorreram atritos entre seus seguidores. Em momentos os pensamentos dos apóstolos que eram os líderes, se convergiam, gerando desde leves contendas à grandes desencontros e em alguns casos até ruptura. Nós Cristãos quando lemos a bíblia temos o hábito de ler versículos, um aqui outro ali e não o capítulo inteiro, assim vemos a ideia parcial do autor e não a mensagem completa que ele quis deixar. No livro de Atos encontra-se descrita uma séria crise que ocorreu entre Paulo e os outros apóstolos liderados por Pedro, João e Tiago irmão de Jesus. Nesta crise aconteceu um encontro de opiniões, onde eles discordaram para quem o Evangelho de Jesus deveria ser anunciado. Pedro entendia que o Evangelho deveria ser anunciado somente aos judeus, pois eram “o povo santo de Deus” já Paulo queria que fosse a todos os povos não judeus que eram conhecidos como gentios. Essa crise está bem relatada na bíblia por ambos os lados, Lucas conta o que aconteceu no livro de Atos capítulo 15, Paulo da sua versão na Carta aos Gálatas 2: 11 – 16 e Pedro por sua vez rebate na Segunda Carta de Pedro 1:20,21 e 2:1 – 22 também escrita por Lucas.

Como foi que ocorreu esse desentendimento:

É preciso saber que os judeus dos tempos de Jesus, não se misturavam com gentios (todos os povos não judeus), pois eram considerados pessoas “imundas” e assim também não comiam com eles “E disse o Senhor: Assim comerão os filhos de Israel o seu pão imundo, entre os gentios para onde os lançarei.” Ezequiel 4:13. Era um escândalo para um judeu estar com um gentio. E este foi o ápice da briga: quando Pedro foi se encontrar com Paulo em uma comunidade Cristã de gentios em Antioquia na Síria. Pedro, que era um judeu, estava sentado à mesa na ceia com os gentios, contrariando a tradição judaica, quando chegaram os outros apóstolos de Jerusalém que também eram judeus, Pedro se envergonhou, deixou os gentios possivelmente pensando na repreensão dos outros, e se retirou da mesa. Paulo não aceitou a atitude de Pedro, o questionou e houve o atrito. Desta feita houve a separação da igreja e seguiram os dois lados os seus caminhos, Pedro anunciando o Evangelho aos judeus e Paulo aos gentios. Depois dessa contenda  a igreja de Jerusalém comandada por Pedro abandou Paulo, deixando-o sozinho em sua evangelização (a igreja cristã de Jerusalém custeava as viagens evangelizadoras de Paulo). Paulo sozinho continuou seu ministério, com força, amor e determinação mesmo diante das dificuldades e privações que o acompanharam. Privações inclusive de pão, como descrito por ele na Carta aos Coríntios “Até esta presente hora sofremos fome, e sede, e estamos nus, e recebemos bofetadas, e não temos pousada certa,” 1 Coríntios 4:11. Lamentavelmente indo contra tudo que Jesus ensinou esta crise acompanhou os dois lados da discussão até o fim de suas vidas, não havendo nenhum relato de reconciliação.

Paulo só, seguiu sua luta – combateu o bom combate

O livro de atos e as cartas dos apóstolos relatam toda sua luta para evangelizar e mostrar ao mundo a verdade de Nosso Senhor Jesus. Temos palavras de conduta religiosa e social belíssimas, um retrato de como se construiu o cristianismo primitivo em todas suas dificuldades e sofrimentos, com amor, perseverança e fé. Não podemos nos esquecer disso, estes textos tem muita importância.

Se talvez você está discordando dos líderes da sua igreja em alguma questão e está preocupado com a condenação de Deus por sua atitude, ser deixado de lado pelos irmãos ou ficar só, pense em Paulo e siga seu exemplo. Não o da discórdia, mas o do amor, pois Pedro amou os santos e Paulo os pecadores. Qual deles está certo? Quem amou mais? Não devemos pensar isso, isso não importa, este pensamento é feio. Dizer que um é mais que o outro, um é mais santo que o outro, é mais ungido ou mais digno que o outro. A quem Jesus amou mais? A quem deu mais poder? Ele amou a todos de igual forma e ainda disse “quem quiser ser o maior seja o menor” Lucas 22:26,27. Como disse Nosso Senhor “não busquemos os primeiros bancos nas praças” Mateus 23:6,7 Lucas 20:46, busquemos os perdidos que estão nas praças.

A Vós, desejo a Paz, a Graça e o Amor de Nosso Senhor Jesus em todos os seus dias!

A BRIGA DE PEDRO E PAULO – DISCÓRDIA TAMBÉM É LIBERTAÇÃO
5 (100%) 6 votos

10 comentário em “A BRIGA DE PEDRO E PAULO – DISCÓRDIA TAMBÉM É LIBERTAÇÃO

  1. Foi revelado a Pedro que os gentios poderiam receber o evengelho. Ele inclusive batizou uma família italiana.
    Isso que falei confere?
    Se confere, não vai contra esse entendimento que predo morreu pregando unicamente aos judeus?
    (Atos 10)

    1. Olá Jose
      Você está parcialmente certo, em Atos 10 o Senhor revelou a Pedro que o evangelho deveria ser anunciado a todos, inclusive gentios, e Pedro obedeceu. Porém em Atos 15 (algum tempo após a revelação de Atos 10) Pedro voltou a rejeitar os gentios {por isso a briga com Paulo detalhada em Gálatas 2}.
      Como Pedro deixou os gentios (ignorando a ordem dada por Jesus em Atos 10), submetendo-se ao entendimento dos outros líderes de sua igreja que eram João e Tiago irmão de Jesus, supõe-se que o motivo foi político (medo de ser expulso da igreja e/ou perder o poder que tinha como líder). Ao que parece o poder corrompeu o amor.
      A Ti, desejo a Paz, a Graça e o Amor de Nosso Senhor Jesus em todos os seus dias!

  2. Precisamos ter cuidado com o que publicamos, o momento onde publicamos, e a quem estamos publicando. Em determinadas cabeças sem exleriencias, esse vídeo está causando duvidas e ate discenção entre liderados e líderes. Lembre-se de: Miram e Arão; Datã, Abirão e Corá; lembre-se de Elifás, Zofá e Bildade, que falaram bem, acerca de Deus, mas em tempo inoportuno, sem que Deus o tenha ordenado. Todos foram rejeitados por Deus.

    1. Ola João
      Entendo e respeito seu ponto de vista, você olha para os textos que citou como sagrados e ditados por Deus, mas se olharmos para eles somente como textos, poderemos ver a manipulação de quem lidera e oprime os liderados. Observe nos textos, quando alguém questiona o líder é castigado pelo Senhor. Talvez o objetivo do texto seja criar medo ao castigo de Deus. Objetivo este que foi alcançado, pois o nosso temor do Senhor é maior que nosso amor a Ele.
      Um grande pensador de nosso tempo, falecido à alguns anos, chamado Millôr Fernandes dizia: “se você não tem dúvidas, você está mal informado”.
      A Ti, desejo a Paz, a Graça e o Amor de Nosso Senhor Jesus em todos os seus dias!

  3. O Senhor provou Pedro ,revelando-lhe primeiro a visao em Atos 10. Paulo estava capacitado para evangelizar os gentios, a discussao entre os dois somente confirmou a escolha do Senhor. O amor que Paulo tinha pelo evangelho teve êxito e nos alcançou. Deus abençoe a todos.

    1. Ola Cleide
      Sabias palavras, que foram muito bem colocadas.
      A Ti, desejo a Paz, a Graça e o Amor de Nosso Senhor Jesus em todos os seus dias!

  4. O conflito é saudável, e sempre acompanhou a humanidade, e o pensar diferente que faz a engrenagem da vida virar, nós cristãos devemos evitar o confronto, quando Pedro cortou a orelha de Malcon, eles estavam em um conflito, Pedro foi para o confronto, imediatamente Jesus corrigiu a rota, restaurando a orelha do soldado, mostrando que apesar do conflito, devemos combater o confronto com amor. Muitas lideranças usam de sofismas para fazer o conflito parecer confronto, e assim fazerem as ovelhas pensarem que estão pecando, quem lidera com amor não tem porque se preocupar, vai fazer do conflito uma oportunidade de crescer e, se preciso corrigir as velas. Deus abençoe todos em nome de Jesus !

  5. Αυτή είναι αίρεση
    Aftí eínai aíresi.
    Acabei de ler esse texto e percebi o quanto tal mensagem foge do verdadeiro sentido de Deus para os homens. Jesus disse que “…eu e o pai somos um” Joao 10:30
    A Pessoa que escreveu este texto CONTEXTA A INERRANCIA BIBLICA E A INSPIRACAO DIVINA.
    Sendo assim, não tenho mais nada a declarar!!!
    Αυτή είναι αίρεση
    Aftí eínai aíresi

  6. Queridos irmãos Paulo é Pedro amavam o Evangelho ambos a Jesus só Pedro um Judeu Nato tinha ideias costumes,tradição que vinha de uma longa geração e Pedro não podia passa por cima de tudo pois ele era judeu pregava para judeus então Cristo levanta Paulo que vai mudar a história vai pregar aos que estão perdido nós os gentios se Cristo quisesse usaria a Pedro para fala aos gentios mas Pedro era judeu vindo é uma longa tradição e Cristo usa Paulo pois ele é escolhido.Ninguem pecou ninguém falhou ambos grande homem de Deus pois Deus colocou cada um em seu lugar Amém???

    1. Amem!
      Sabias palavras irmão. Todavia, respeitosamente, faço uma observação. Paulo também era judeu e criado dentro das tradições judaicas, porém quando do encontro com Nosso Senhor, deixou a igreja para traz e seguiu Jesus. Já Pedro preferiu construir um trono para Jesus no púlpito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *