DEUS ABSCONDITUS ET DEUS REVELATUS – O FASCÍNIO PELO DEUS OCULTO E O ESQUECIMENTO DO DEUS REVELADO
5 (100%) 30 votos
- ANTIGO TESTAMENTO, NOVO TESTAMENTO, PROVOCAÇÕES

DEUS ABSCONDITUS ET DEUS REVELATUS – O FASCÍNIO PELO DEUS OCULTO E O ESQUECIMENTO DO DEUS REVELADO

Deus absconditus et Deus revetaus. Nós Cristãos temos uma forte crença em um Ser Superior que nos deu a vida e buscamos sempre estar perto e em sintonia com Ele. Quando olhamos para o Senhor buscamos a imagem que nos foi dada pela igreja. Esta imagem que temos é de um Deus Todo Poderoso, que vive nas nuvens, no alto, na glória, escondido e envolto em seu poder. Um Deus onisciente, onipresente e onipotente que tudo vê, está em todo lugar e tem toda força. Acreditamos em sua existência mas nunca o tocamos e nunca estivemos com Ele fisicamente, somente em pensamentos e com nosso espírito nos comunicamos com esse Deus. O vemos de uma forma inalcançável, inabalável e inatingível, mas Ele não queria que o víssemos assim então se revelou a nós. Ele se fez homem e veio ao nosso encontro, andou conosco, comeu conosco, nos ensinou como partilhar, aceitar, perdoar e ficar mais perto Dele através do amor, amor este a nossos irmãos mais pobres. Lamentavelmente não ouvimos sua mensagem, seus ensinamentos e mesmo Ele se fazendo presente entre nós, decidimos por continuar a buscar sua imagem celestial. Mesmo conhecendo o Deus Revelado ainda estamos buscando o Deus oculto (Deus absconditus et Deus revelatus).

Ele caminhou entre nós

Quando pensamos em Deus pensamos no céu, na Glória. Oramos a Ele com esperança de que nos ouça e atenda nossos pedidos, temos a visão de um Deus benevolente e amoroso. Isso é bom, pensar em um Deus que quer o nosso bem e cuida de nós. Mas está enraizada em nossa mente uma teologia de retribuição muito forte onde nos faz crer nesse Deus não por amor ou gratidão, mas por interesse em ganhar alguma recompensa. Nosso Egocentrismo não nos deixa ver o que Ele nos deu gratuitamente sem pedirmos, que é a vida, o ar que respiramos, o sol que nos ilumina entre muitas outras coisas as quais não são suficientes para nós, pois ainda buscamos a Deus querendo mais. Não vamos as igrejas em um ato de comunhão com Deus, vamos com esperança de que Ele fique contente com o nosso ritual e nos dê algo que desejamos em troca. Mas você deve estar pensando: ‘eu não sou assim, eu não sirvo a Deus querendo bens materiais, eu sirvo a Deus esperando a salvação’. Se você busca a Deus esperando a salvação ou outra vantagem, mesmo que de nobre intenção, você está buscando a retribuição. Aí você vai pensar, mas se não for para ser salvo porque servir a Deus? Este pensamento está equivocado, não devemos servir a Deus esperando uma gratificação, devemos servir por amor e principalmente como Ele mesmo disse quando esteve entre nós, por amor a nossos irmãos. Mas caso você tenha escandalizado-se com o que eu disse, deve saber que quando Jesus multiplicou os pães e peixes no mar da Galileia seus discípulos perceberam que Ele era Deus e decidiram adorá-lo, porém Nosso Senhor não quis adoração, rejeitou esta atitude dos que o seguiam e afastou-se deles “Sabendo, pois, Jesus que haviam de vir arrebatá-lo, para o fazerem rei, tornou a retirar-se, Ele só, para o monte.” João 6:15. Devido a uma religiosidade confusa e sacerdotal que nos acompanha há milhares de anos mantemos essa esperança em um Deus inalcançável, oculto e infelizmente esquecemo-nos do Deus Revelado. Um Deus que se fez humano, o qual podemos tocar, ver e conversar. Buscamos a Deus e esquecemos de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Representação de Jesus Cristo no mar da galileia após a multiplicação dos pães e peixes

Escrevo este artigo mas não minhas essas palavras, esses pensamentos não são meus, esses pensamentos tem mais de 500 anos. Quem escreveu sobre isso foi Martim Lutero, padre agostiniano de nacionalidade alemã, que se contrapôs a opressão da igreja católica da Idade Média e em 1517 começou uma revolução religiosa sendo o precursor do protestantismo europeu. Um movimento com intenções de reforma e combate a opressão e corrupção na igreja católica. Ele disse isso um dia com autoridade e convicção mas infelizmente mesmo com sua influência na sociedade da época estas palavras se perderam nas mentes de grandes homens que o ouviram mas não fizeram. Para poucos que leem meu artigo este argumento não é novidade, infelizmente para a maioria é uma coisa nova. Apesar do sucesso deste movimento, o qual está presente na Europa até os dias de hoje, o protestantismo se perdeu em suas doutrinas e princípios e as ideias primárias de Lutero foram esquecidas.

Martin Lutero precursor do protestantismo europeu – Deus absconditus et Deus revelatus

Se te faz bem a busca pelo Deus oculto e isto lhe aproxima do Senhor, continue assim, mas não se esqueça do Deus Revelado. Ele está na esquina da sua casa, com frio e esperando por um prato de comida “Então os justos lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? ou com sede, e te demos de beber? … E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade, em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pobres irmãos, a mim o fizestes.” Mateus 25:37-40.

A Vós, desejo a Paz, a Graça e o Amor de Nosso Senhor Jesus em todos os seus dias!

DEUS ABSCONDITUS ET DEUS REVELATUS – O FASCÍNIO PELO DEUS OCULTO E O ESQUECIMENTO DO DEUS REVELADO
5 (100%) 30 votos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *